Blog da Casa das Matryoshkas

Reflexões sobre o Outono

marca_casa_matryoshkas_prop1_versao_aurea

Outono

 

“Abençoada  seja a mãe de toda a vida.
Abençoada  seja a vida que dela brota e a ela retorna…”

 

 

 

O Outono é a estação do ano que sucede o Verão e antecede o Inverno. É caracterizado por queda na temperatura, e pelo amarelar das folhas das árvores, que indica a passagem de estações (exceto nas regiões próximas ao equador).

 

O Outono do hemisfério norte é chamado de “Outono boreal” e o do hemisfério sul é chamado de “Outono austral”. O “Outono boreal” tem início, no hemisfério norte, a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. O “Outono austral” tem início, no hemisfério sul, a 20 de Março e termina a 20 ou 21 de Junho.

 

Patrícia Fox assinala que o Outono é uma das estações mais belas do ano, que traz a sabedoria do desapego, um tempo de deixar as folhas verdes se soltarem e voarem com o vento, retornando para a terra, para a grande transformação.

 

Equinócio de Outono

 

A palavra equinócio é derivada do latim aeque nocte  que significa “noite igual” ao dia. Equinócio é, pois, um fenômeno astronômico  e simbólico em que a noite tem a mesma duração do dia, em decorrência da posição do sol em relação à Terra. No hemisfério sul, o equinócio de outono assinala a entrada do Sol no signo de Áries e o início de um novo Ano  Zodiacal.

 

 

 

Os celtas celebravam, nesta data, o equinócio da primavera, denominado Sabbat Alban Eilir ou Ostara, simbolizando o renascimento da natureza e o desabrochar da vegetação.

 

Ostara é a forma teutona de nomear a Deusa Eostre, da qual deriva a palavra Easter que significa Páscoa em inglês.

 

Em Ostara a natureza volta a liberar a energia retida durante todo o inverno, e é uma época de muitas oportunidades para o nosso renascimento.

 

O Equinócio de Outono nos convida a meditarmos sobre o equilíbrio em nossas vidas e em nosso interior. Será bom refletirmos sobre o que podemos fazer para conciliarmos os opostos ou aspectos de nossas vidas que estejam precisando de equilíbrio. É tempo de equilibrar luz e sombra, assim como mente, corpo e alma. Também um tempo de preparo para um período de mais introspecção e recolhimento. Tempo de agradecer e meditar. Tempo de acolhimento.

 

Na antiga Grécia celebrava-se, no dia 20 de março, o retorno da deusa Perséfone do reino subterrâneo de Hades. Sua mãe, a deusa Ceres, feliz com seu retorno, celebrava-o enchendo a Terra com folhas e flores.

 

Tradição Pagã
O Sabbat do Equinócio do Outono (também conhecido como Sabbat de Outono, Mabon e Alban Elfed), é o Segundo Festival da Colheita e a época de celebrar o término da colheita dos grãos que começou em Lammas. Também é a época de agradecer, meditar e fazer uma introspecção.
Nesse dia sagrado, muitas tradições wiccanas realizam um rito especial para a descida da deusa Perséfone ao Submundo, como parte da celebração do Equinócio do Outono. De acordo com o mito antigo, no dia do Equinócio de Outono, Hades (o deus grego do Submundo) encontrou-se com Perséfone, que colhia flores. Ficou tão encantado com sua beleza jovem que, instantaneamente, se apaixonou por ela, Agarrou-a, raptou-a e levou-a em sua carruagem para a escuridão do seu reino a fim de governar eternamente ao seu lado como sua imortal Rainha do Submundo. A deusa Deméter procurou, por todos os lugares, sua filha levada à força, e, não a encontrando, seu sofrimento foi tão intenso que as flores e as árvores murcharam e morreram. Os grandes deuses do Olimpo negociaram o retorno de Perséfone; porém, enquanto ela estava com Hades, comeu uma pequena semente de romã, tendo, então, que passar metade de cada ano com Hades no Submundo, por toda a eternidade.

 

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat do Equinócio do Outono são os produtos do milho e do trigo, pães, nozes, vegetais, maçãs, raízes (cenouras, cebolas, batatas, etc.), cidra e romãs (para abençoar a jornada de Perséfone ao tenebroso reino do Submundo)
____________________________________________________

 

“Uma árvore em flor fica despida no outono. A beleza transforma-se em feiúra, a juventude em velhice e o erro em virtude. Nada fica sempre igual e nada existe realmente. Portanto, as aparências e o vazio existem simultaneamente”

 

(Dalai Lama)

 

Hai-Kai de Outono

Uma borboleta amarela?
Ou uma folha seca
Que se desprendeu e não quis pousar?

 

(Mário Quintana)

 

 

 

Outono é outra primavera, cada folha uma flor.

 

(Albert Camus)

 

Repara que o outono é mais estação da alma do que da natureza.

 

(Nietzsche)

 

 

 

___________________________________________________

 

Gosto do outono porque ele é frio suficiente para refrescar o calor…
E é quente o suficiente para aquecer o frio.

 

(Lidiane Araújo Mejozebato)

 

____________________________________________________

 

Nos dias de outono
as folhas largam no ar
um cheiro de sono

 

(Cristina Saba)

 

Outono –
as folhas caem
de sono

 

(Cláudio Fontalan)

 

 

 

Brisa de outono
Como flechas de sombras
Os pássaros voltam.

 

(Jorge Lescano)

 

 

 

Silêncio de outono.
Nem o grito do carteiro…
cochicho de folhas.

 

(Anibal Beça)

 

 

 

 

 

Princípio de outono
sol pálido
no céu branco

 

(Rogério Martins)

 

 

 

____________________________________________________

 

Outono
outrora
era outro

 

(Alonso Alvarez)

 

____________________________________________________

 

Outono –
uma folha úmida
cobriu o número da casa.

 

(Constantin Abaluta )

 

 

 

Círculo Sagrado de Mulheres Encontros com Madalena

 

One Thought on “Reflexões sobre o Outono

  1. MARIA ROMUALDA LOPES CORREA on 20 de março de 2014 at 23:18 said:

    EU passei por momentos de muitas angústias; por muito tempo, ainda não estou totalmente liberta de tudo… Mas nos momentos que estive com as MADALENAS me senti outra pessoa, renovada,com uma paz no interior no meu coração. Devo tudo isso à minha querida HELOÍSA; que eu pude dividir um pouco da minha dor com ela, foi ai que ela me fez o convite pra participar das reuniões… A partir dai minha vida teve a mudança que eu estava querendo… cada dia que eu participava eu saía mais renovada espiritualmente, cada mulher que se encontrava ali transmitia uma energia diferente, cada uma tem um jeito carinhoso de falar. Só quem já viveu o que eu vivi saberá me entender….OBRIGADA A TODAS VOCÊS MULHERES AMADAS,MINHAS QUERIDAS MADALENAS… BJOS NO CORAÇÃO DE CADA UMA…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation